Concurso de contação de histórias está movimentando as unidades de educação do município

15 de agosto de 2018

Percebendo a importância de projetos que colaborem com o processo de desenvolvimento da leitura e da escrita, a Prefeitura de Anápolis por meio da Secretaria Municipal de Educação desenvolve anualmente o projeto “Ler Por Prazer – Contadores de Histórias”, concurso de contação de histórias que atua promovendo, difundindo e divulgando as manifestações artísticas do ambiente escolar, incentivando a prática de ler, ouvir e contar histórias, descobrindo novos talentos de alunos do Jardim II ao 9º ano da rede municipal de ensino de Anápolis.

O projeto é desenvolvido ao longo do ano letivo e a primeira etapa aconteceu no primeiro semestre nas próprias unidades escolares, que promoveram internamente seleções que definiram os candidatos representantes para o concurso. A segunda etapa está acontecendo nos dias 14,15,16 e 17 de agosto em 10 polos regionais para a seleção dos melhores contadores de histórias de cada polo, em quatro categorias: Jardim II/1º ano; 2º e 3º ano; 4º e 5º ano; 6º ao 9º ano.

Os polos regionais onde estão acontecendo as semifinais, são: CMEI José Epaminondas (Vila Frabril), CMEI Zilda Arns (Tropical), CEI Bete Shalom II (Centro), CMEI Carlos Drummond (Reny Cury), CMEI Professora Célia Maria Rocha (Leblon), CMEI Professora Cinthya Rodrigues (São Conrado), CMEI Professora Helena Melazzo (Las Palmas), CMEI Cibele Teodoro (Jaiara), CMEI Manoel Bandeira (Jardim dos Ipês) e CMEI Maria Capuzzo Cremonez (Vila Goiás). A culminância do projeto está prevista para acontecer no mês de novembro.

De acordo com o secretário municipal de educação, Alex Martins, o projeto tem papel importante inclusive para a formação de indivíduos críticos, responsáveis e atuantes na sociedade. “Além de incentivar o desenvolvimento da oralidade, criatividade e capacidade crítica de nossos alunos, o projeto atua na descoberta de talentos, associação de vivências e incentivo à leitura, ou seja, uma excelente estratégia pedagógica tanto para a Educação Infantil quanto para o Ensino Fundamental”, disse.