Prefeitura promove trabalho permanente de combate ao bullying e à violência

28 de agosto de 2018

O relatório do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), divulgado em 2017, revelou uma triste realidade. De acordo com os dados 17,5% dos alunos brasileiros, na faixa dos 15 anos, são alvos de algum tipo de bullying várias vezes ao mês. De acordo com o psicólogo Jean Carlos Pêssoa, esse tipo de violência sistemática pode causar traumas emocionais sérios na vítima. Diante dessa realidade, a Prefeitura vem realizando um trabalho permanente de conscientização nas escolas municipais, em uma campanha de promoção da paz e combate às violências.

 Dentre as ações que estão sendo desenvolvidas estão a distribuição de materiais informativos, projetos pedagógicos interdisciplinares envolvendo o tema, concurso de redação e rodas de conversa com os alunos.Nesta semana, um desses momentos diálogos ocorreu com os alunos da Escola Municipal Professora Lena Leão, no Parque Brasília.

Na conversa com os estudantes, o psicólogo Jeam Carlos Pêssoa destacou os efeitos do bullying. “Geralmente quem sofre esse tipo de agressãotem uma propensão a desenvolver uma baixa autoestima, dificuldades relacionais, ansiedade, alterações de humor e, no caso de estudantes, afeta o rendimento acadêmico e, como conseqüência, causa evasão escolar”, disse.

A aluna Raissa Cavalcante, 14 anos, gostou do bate-papo. “Eu achei muito interessante o formato dessa palestra. É bem jovem, a gente entende o que está sendo dito e ainda pode fazer perguntas e compartilhar nossas experiências”, pontuou.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Alex Martins, a campanha de conscientização está produzindo transformações nas escolas e na vida dos alunos envolvidos. “Temos percebido por meio dos depoimentos de professores e alunos que os projetos pedagógicos e as rodas de conversa influenciam diretamente no ambiente das escolas onde são realizados, levando respeito, conscientização e a promoção da paz”, disse.